A- A A+

Guia de visitas ao paciente internado no CTI Adulto do HSC Blumenau

O Centro de Terapia Intensiva Adulto (CTI Adulto) é um ambiente de cuidados especializados, multidisciplinares e integrados. Dessa forma, para garantir as melhores práticas assistenciais, a equipe é multiprofissional e atua de maneira individualizada no diagnóstico, tratamento e reabilitação.

No CTI, as condições vitais são constantemente monitoradas e avaliadas pela equipe assistencial do setor e serviços de apoio. Assim, para definir o melhor plano de cuidado, são considerados aspectos de saúde e individualidade do paciente.

Portanto, o objetivo da assistência é otimizar o tratamento e auxiliar na recuperação, além de possibilitar o reconhecimento precoce e o tratamento imediato de complicações. Por isso, diariamente, é realizado o alinhamento do plano do paciente entre a equipe multiprofissional, denominadas Rounds.

No HSC Blumenau, o CTI Adulto é composto de duas Unidades de Terapia Intensiva: a UTI Geral e UTI Cardiológica. Confira abaixo algumas orientações importantes como horário de visitas e orientações para visitantes.

Visitas no setor da CTI

Social: Trata-se da visita de 02 (duas) pessoas independente de capacitação e vínculo familiar. Dessa forma, ela pode ser realizada nos seguintes horários

  • UTI Geral: Das 11h30min às 12h, das 16h às 16h30min e das 20h às 20h30min.
  • UTI Cardiológica: Das 07h30min às 08h, das 16h às 16h30min e das 20h às 20h30min

Estendida: Trata-se da liberação de 02 (duas) pessoas de forma intercalada, das 07h30min às 21h30min. O horário da troca de acompanhantes será das 8h às 9h, das 13h às 14h e das 19h às 20h. Assim, após a capacitação, é autorizada a permanência das mesmas com o paciente. As capacitações serão realizadas as segundas, quartas e sextas-feiras, às 8h e às 15h30min.

Acompanhante 24 horas: Trata-se da liberação de 01 (uma) pessoa após avaliação pela equipe multiprofissional. Dessa forma, a necessidade do paciente e/ou acompanhante é analisada pelos profissionais em conjunto com a família.

Representante familiar: É recomendado eleger um representante da família para receber e repassar as informações do paciente. Assim, quando necessário,familiares e amigos recebem as atualizações do quadro do internado mais facilmente.

Reunião familiar: Trata-se de um encontro com a família e equipe multiprofissional para esclarecimento da condição, plano terapêutico e/ou necessidade do paciente. Entretanto, deve-se salientar que ela acontece em situações pontuais.

Orientações gerais

  • A visita de crianças com idade até 12 anos deverá programada. Afinal, é necessário que seja realizada uma avaliação com a psicóloga. A mesma pode ser realizada de segunda à sexta-feira, das 07h às 16h.
  • É obrigatório a higienizar as mãos antes e após sair do quarto. Assim como quando em contato com paciente e/ou seus materiais;
  • Não é permitido manusear equipamentos e materiais de saúde;
  • Não é indicado sentar na cama do paciente. Por isso, recomenda-se o uso da cadeira no quarto;
  • Não é permitido circular pelo setor;
  • Não é permitido visitar outros pacientes além daquele o qual a visita se destina;
  • Os visitantes devem permanecer atentos às informações que estarão disponíveis na porta do leito ou armário;
  • Antes de oferecer dieta ao paciente, certifique-se de que a alimentação está liberada;
  • O banheiro direcionado para uso dos familiares é o da sala de espera. Dessa forma, ele localiza-se no Centro Cirúrgico e funciona 24 horas por dia;
  • É proibido o uso de aparelhos eletrônicos durante o horário de visita. Entretanto, a liberação pode acontecer somente com a autorização da equipe multiprofissional;
  • O horário pré-determinado de entrada e troca de acompanhantes deve ser respeitado;
  • Pede-se para que os acompanhantes aguardem informações dentro do quarto do paciente. Porém, se necessário, é possível acionar a equipe por meio da campainha;
  • Recomenda-se que o tempo de visita seja usado para incentivar o paciente em sua recuperação.  

E como o familiar pode ajudar?

A presença de alguém da família contribui na redução da ansiedade, medo e a dor do paciente. Entretanto, o acompanhante ainda pode ajudar a equipe de profissionais da UTI a entender melhor o paciente. Assim como ajudá-lo a compreender as informações sobre o estado de sua saúde.

Além disso, o familiar pode estimular o restabelecimento do ciclo sono-vigília, contribuir com as medidas voltadas para reorientação do paciente e atividades diárias como alimentação, reposicionamento no leito, fisioterapia, sob orientação.

 

Revisão por: Soraya Bachmann Souza, Supervisora CTI Adulto, 

Últimas notícias